Oito Mulheres e Um Segredo | Resenha do Filme


Depois da febre de La Casa de Papel no início do ano, é lançada uma história na mesma temática, só que melhorada e na qual o plano realmente é bem elaborado e arquitetado: Oito Mulheres e Um Segredo.

O filme, no mesmo universo de Onze Homens e Um Segredo, consegue ser original, engraçado e surpreendente. Misturando cenas de ação com transições de tela de forma artística, que deixa o filme com um ar diferente e único, a história é sobre uma mulher, Debbie Ocean (Sandra Bullock) que acaba de sair da prisão, e já tem um plano de roubar uma joia avaliada em U$ 150 milhões de dólares. Para executar esse plano ela precisa da ajuda de outras mulheres, que terminam de compor esse espetáculo de elenco principal: Rihanna, Anne Hathaway, Awkwafina, Helena Bonham Carter, Sarah Paulson, Mindy Kaling Cate Blanchett.



Toda a edição do filme é de uma beleza admiravel, desde as transições de cena até mesmo a música ambiente e trilha sonora. O roteiro e a música se encaixam perfeitamente, e ainda mais quando a cena tem algum alívio cômico, encontrado em diversos momentos em quase todas as cenas. Outro ponto que é digno de atenção é todo o fundo do filme, literalmente.

Os cenários são chiques e bonitos, e os figurantes também. Esse “elenco” é uma diversão a parte, com diversos convidados especiais e aparições surpresa, com celebridades e personalidades da mídia e moda. Essa diversão secundária rende facilmente uma segunda assistida ao filme, para apenas prestar atenção nos participantes.

É uma análise interessante pensar que esse filme é todo ambientado com mulheres, e todos os personagens importantes são mulheres. Os secundários em sua maioria também, mas alguns homens também compõem a história, porém com “características” representadas muitas das vezes por personagens femininos, como o alívio cômico, o que só serve para ser par romântico, o personagem estupido.

Enquanto isso, as protagonistas são cheias de atitude, inteligências próprias e também suas características marcantes. Em um mundo completamente dominado por representação de homens, essas personagens seriam facilmente encaixadas em qualquer filme blockbuster de Hollywood, mas interpretadas por um ator.

Essa é beleza de Oito Mulheres e Um Segredo, um filme cheio de representatividade, que nao precisou ficar se autoafirmando em todo momento, mas que consegue passar sua mensagem: é possível sim fazer filme de ação apenas com mulheres, assim como tambem é possível fazer um filme com personagens profundos e inteligentes sem ser do sexo masculino.
Próximo
« Anterior
Anterior
Próximo »